Pular para o conteúdo principal

Coisas que escrevi

Liberdade pessoal -- a retomada

Você já tentou alguma vez recuperar suas rédeas ao perceber que algum vício as tomara?

Há quem tente, e tente, e tente mais uma vez, e assim passa a vida entregando e recuperando o controle de si próprio.
Há aqueles que não se dão o trabalho, porque celebram a inutilidade do esforço diante da cruel e irreversível realidade da morte com ou sem vícios.
.....podemos identificar esse tipo de batalha contra o cigarro, bebida, drogas diversas (desde as que tiram, até as que trazem alucinações), pela compulsão de comida, ou de um casamento – seja qual for sua forma.
Não importa com o que, ou com quem.
Importa identificar, admitir e aceitar que além de viciados em receber migalhas, o comando prático não está nas nossas mãos.
E isso, dói.....

Há aqueles que lutam através de todos os segundos de suas vidas, durante muito, muito tempo. Pra valer.
De repente, percebem que alguma parte de si já abandonou ou foi abandonada por aquele desejo compulsivo e irracional, insistente e contagioso.
Percebem que é estranho não precisar mais daquilo que pensavam ser vital, e assim podem começar a repensar seus tempos, suas escolhas, e a respeitar a força que qualquer hábito, bom ou mau, pode alcançar.
Percebem que sem cabeça o coração fica perdido...e que pra manter a cabeça de mãos dadas com o coração, tem de haver mais dedicação à atenção!!!!

Podemos identificar esse tipo de batalha contra o cigarro, bebida, drogas diversas (desde as que tiram, até as que trazem alucinações), pela compulsão de comida, ou de um casamento – seja qual for sua forma.
Não importa com o que, ou com quem.
Importa identificar, admitir e aceitar que além de viciados em receber migalhas, o comando prático não está nas nossas mãos.
E isso, dói.

Essa batalha não pode ser ganha sem estratégia.
Não há estratégia se o ponto de partida não for uma observação competente e honesta da verdade da nossa situação.

A verdade é sempre o único ponto de partida, e sempre o único ponto de chegada.

O corpo e a alma doem quando falta o alimento que parece saciar a compulsão.
Não sei se é pior ou melhor nessa altura do campeonato, a gente lembrar que a abstinência e o tempo necessário para realizar a perda são muito difíceis, parecem mesmo intransponíveis, mas....... passam!

Os dias passam e os pensamentos, desejos e intenções se vão com o vento, se não lhes dermos corpo.

Acredite, se há uma coisa nessa vida na qual vale a pena a gente dedicar tempo e resistência, essa coisa se chama "retomada da liberdade pessoal"

 abril de 2006

Comentários

Pat disse…
A nossa vida é esse mistério: uma hora é poesia, outra hora é drama; às vezes é limão, outras vezes limonada, ou quem sabe uma bela pina colada do abacaxi que aparece...rs... Penso que existem as bagagens que carregamos (os outros), no entanto, continuar com esse peso é uma questão nossa... Como dizem por ai: "a dor é inevitável, o sofrimento é que é opcional". E assim vamos vivendo, o mais importante é não deixar acorrentar a alma e estarmos conscientes de que a nossa felicidade nos pertence e não aos outros. Precisamos aprender a estarmos felizes com nós mesmos e fazer silêncio às vezes, para sabermos quem somos e o que de verdade queremos. Talvez devemos esperar menos de tudo, pois se vier a mais é lucro e se vier menos à gente pede o troco...rs...

Gostei muito desse seu texto viu? Sempre visitava seu site e lia todos...rs...Gosto também daquele que fala assim: “Todo mundo conhece o exílio. Todo mundo é imigrante de alma...". E ainda tinha por lá Fernando Pessoa. Muito bom mesmo!!
Então Inté!
Pat
Ana Lucília disse…
Este comentário foi removido pelo autor.

Postagens mais visitadas deste blog

Pensou que eu tinha esquecido de você Eli?????

Mas não esqueci não!!!!!
Parabéns atrasados querida, mas limpinhos e cheios de carinho!!!
Desculpe não ter postado ontem!
Fui abduzida pela minha filha que me levou a um cinema incrível, a gente quase deita nele! E os garçons servem o que a gente já pediu.
Assistimos Almodovar com um pacote imenso de pipocas e prosseco rosê.
E eu ficava pensando: será que vai dar tempo de postar o parabéns da Eli?????
Não deu, mas então aqui vai:

PARABÉNS ELI!!!!
Muita saúde, paz, realizações, amor, felicidades e que seus desejos mais lindos sejam realizados!
Receba um beijo meu enooooooooooorme, e deste blog inteirinho que te ama!

Ah, a Carminha fez um cartão lindo prá você, só que veio em pdf. extensão que o blogger não aceita para uploads.

Então saiba que o carinho de todos por aqui é muito maior do que o que você imagina!
Beijos mil
Existe uma música cuja letra diz   “recordar é viver”
Pois bem, eu digo o contrário. Viver, de verdade, é recordar…..
Daquilo que, intimamente, já sabíamos - mas não lembrávamos que sabíamos… Recordar através de uma palavra solta no ar, um gesto, uma intenção, um deja-vù… qualquer coisa se presta a ser um sinal que suga dos infinitos do inconsciente a lembrança vaga de fatos, mas muito sólida em conteúdo e sentido.
Lembrar disso tudo trás sentido ao viver, ao sofrer que faz parte, àquilo que temos de aceitar porque a impotência bate de frente….
O caminho dessas lembranças, pelo menos o único que conheço, está bem perto - ou melhor : bem dentro de nós. Há que se ter coragem = core ( coração + agir ). Há que enfrentar nossos próprios demônios e dragões, que guardam as portas de entrada da memória… Parece simples, mas não é. Um pequeno e único gesto, por menor que seja, nessa direção, acredite: é Hercúleo.
Bem vindo à complexidade - inevitável como o destino - que nos compõe, e parece cobrar sua aut…

Mistério revelado

Que bacana vocês terem aprovado o verde de fundo do blog.
É em homenagem à nossa escolha por maioria, ao partido verde, que na verdade com ou sem partido, é a cor de fundo das escolhas dos nossos corações, não é mesmo?

Um blog que reúne pessoas que amam animais, vegetais e minerais, música, arte e verdade, é no mínimo ecológico e ético, certo people?

Então, vou contar para vocês sobre o mistéééério que me levou ao planalto central.

Uma amiga comentou há algumas semanas, que um grupo de amigos estava com vontade de ir à Abadiânia - cidade do interior do estado de Goiás, para ser vista pelo médium João de Deus, a quem é atribuído grande poder de cura das mais diversas doenças.

Vi na minha agenda que naquele final de semana eu estaria com tempo livre, e resolvi me juntar ao grupo, uma vez que nos últimos anos tenho me sentido um "mostruário" de males que a medicina tem pouco ou nenhum jeito eficiente de tratar. Alguns não têm nem diagnóstico..... já passei por tantos hospitais, médi…