Pular para o conteúdo principal

Receita para um mundo horrível

Imagine um mundo no qual "topa tudo por dinheiro" não é mais apenas o nome de um programa criado pelo Sílvio Santos, mas se transformou numa atitude que hoje é o mantra que rege como valor único, milhões e milhões de humanos por este Brasil afora...

Agora imagine um país que elege como primeira dama e apresentadora de programa de TV, imensamente bem sucedida (se o sinônimo de ser bem sucedida for ganho de dinheiro e de poder) a moça bonita que deu um vergonhoso "golpe da barriga" no pop star mundial Mike Jagger e saiu desafiando em tom provocativo a família dele, embolsando fortunas...

Pense num mundo onde a música deixou as portas da divulgação abertas para grupos barulhentos e sem critério desfilarem bundas, peitos, sexo, onde o futebol tem portas abertas para craques não importando antecedentes ou a vida e comportamento do cidadão fora de campo, onde a política seguia o mesmo caminho até a "ficha limpa"

Não deixe de considerar que está intrínseca em todas estas "realizações", uma promessa tácita de que este é o caminho da libertação da pobreza, o final da exclusão social, que só desta forma ou seja: utilizando todos os apelos que uma educação que respeita o semelhante como a si próprio jamais permitiria, é que o pobre receptor destas mensagens vai conseguir "vencer na vida" ....

Consequências óbvias: não precisa ter mais formação jornalística para ter programa de TV, nem formação acadêmica ou qualquer que seja para ser pop star, político, jogador de futebol, etc.
Não precisa de formação alguma. Basta topar tudo por dinheiro.

Vamos lá pessoal, nesta receita de mundo, uma modelo ter um filho de um relacionamento extra conjugal com um jogador de futebol de time grande, não parece um absurdo, certo? Do mesmo jeito que ele a forçar a tomar substâncias abortivas também não soa tão absurdo, não é mesmo?
E o que diríamos então da encomenda de um assassinato brutal?

Até quando vamos precisar que aconteçam barbaridades para pararmos de nos comportar como sub-raça?

Será que não temos nem um pouquinho de responsabilidade neste andamento de equívocos sociais dos quais somos as únicas vítimas?

É muito sintomático esse sucesso imenso que os filmes violentos fazem.
Há um resquício atávico na humanidade, sádico até não poder mais, desde sempre.

Quando é que vamos parar de admirar o que nos horroriza?

E ainda são permitidas as produções e exibições destes filmes que incitam a imaginação macabra de quem insiste em se fazer passar por humano.

Eu ainda acredito que a educação pode ajudar em alguma coisa. A acadêmica não garante correção de caráter, mas ajuda, principalmente quando o berço pode ter falhado nesta formação.
Que fique muito claro que o que acabei de dizer não tem nada a ver com pobreza ou riqueza financeira. Falo do "berço" de valores e princípios, que com esta falsa e indiscriminada "permissividade inclusiva" moderna, se diluíram na conveniência político/social.

Tenho medo do amanhã, porque vejo no hoje uma displicência de valores anárquica, que favorece o crescimento da maldade, através da impunidade e da dissolução de princípios.

Comentários

Maria Eduarda disse…
ZZ,
Essa é definitivamente uma questão que me impacta a ponto de, por vezes, me imobilizar. A minha grande preocupação (e ocupação) é o até quando - tão bem levantado por você. Há alguns anos, por conta de algumas escolhas, decidi ser formiga e tocar o coração das pessoas sempre que a oportunidade der sua permissão ou construir a oportunidade. Nesse sentido, tenho feito um trabalho individual para conseguir mais pessoas que compartilham das minhas idéias (das suas idéias)no sentido de despertar aqueles que passam pela minha existência para a necessidade do caráter; para o reconhecimento da conquista merecida por meio do trabalho honesto. Muito vezes tenho também apontado o dedo para mim mesma quando reconheço em mim a aliança com a sombra e refaço o caminho por mais doloroso que seja. Longe de mim soar aqui como modelo de conduta. O objetivo é apenas dizer que compartilho da sua indignação e que cabe a cada um de nós, em nível individual, antes de atingir o coletivo, operar mudanças constantemente em nome da nossa evolução e, portanto, da evolução da humanidade. Ao mesmo tempo em que redijo, a voz da Moscovicci, espealista em ciências socias, me soa pezarosamente aos ouvidos: as representações sociais levam, pelo menos, 100 anos para serem modificadas, mas o meu coração responde que, independente de estar viva para ver as mudanças, a minha vida só faz sentido porque vivo para que elas se efetivem.
Meu muito carinho,
Conceição de Maria
Claudio Almeida disse…
Oi, Zizi

Concordo com tudo que você falou e acrescento que vivemos, hoje, num país de espetáculos da vida privada. As pessoas não estão preocupadas de como e nem de que forma, mas querem a "fama" a qualquer custo, qualquer MESMO!! Seja lá fazendo o que for. O que mais me assusta é que casos como estes, infelizmente, se tornaram banais e, viram aquele famoso espetáculo da vida privada, que eu já mencionei. E tem gente que ainda compra esta idéia, né? Se deliciam com estas situações lamentáveis, trágicas e grotescas.
Há tanta coisa bacana para se ver e fazer, não? Temos uma música maravilhosa, podemos, se quisermos, ler coisas bacanas, ver programas de TV ou fimes que nos façam refletir sobre alguma coisa que possa ser importante para nossa caminhada.
Enfim, será que, algum dia, não seremos (mais) violentados por esse circo de horrores?

Bom, vamos falar coisas boas, bonitas e saudáveis: que fotos são aquelas, heim? Maravilhosas!

Um beijo e um cheiro, cheio de carinho.
Vladimir disse…
Zizi

Eu também acredito que a educação pode ajudar em alguma coisa!!
Aliás, é só na educação que restam as minhas esperanças... Porém, não nesta educação ultrapassada de hoje, onde ainda prevalece o método da "decoreba".
Acho que falta incluírem no currículo escolar questões de ética, moral, cidadania, respeito ao semelhante, aos animais, ao planeta, etc...
Concordo com a banalização da violência na mídia. Matar é atração televisiva!! Ser famoso é aparecer na capa do jornal, estar nos noticiários (não importando nem mesmo com que propósito)!!
Sabemos que a família, que deveria ensinar estes valores deixou de ensiná-los até mesmo pela sua inexistência, ou mesmo pelos próprios pais não terem este "conhecimento"...

Enfim, estamos vivendo uma crise de valores...

E mais um crime estampa os noticiários e nos choca não "por ser mais um crime", mas pela forma cruel e desumana com que foi feito.
E eu também me pergunto: Até quando?
Betho disse…
Os valores mudaram,as pessoas mudaram e tudo muda para pior a cada dia.
Mas acho que nós que somos de outras gerações estamos aqui para passar um pouco do que conhecemos e de valores que estão sendo esquecidos.
Mas ainda tem muita coisa boa no mundo como a boa música como já disse alguém em outro comentário.
E você traz uma das coisas boas que temos que é sua presença com sua música, sua voz.
Enquanto existir uma zizi no cenário artístico a nossa cultura está sendo preservada com coisas boas.
beijos
Marcel disse…
As condições sub-humanas em que a sociedade contemporânea se encontra me cheira podre!

É ridículo, e pode até parecer redundância/pleonasmo falar que o povo só atingirá uma sociedade igualitária se buscar por onde.

Enquanto tais atitudes não são tomadas , basta rezarmos e torcemos para que tudo possa fluir de uma maneira diferente e mais natural.

Creio que as vezes as pessoas não sabem mais o que é calor humano, afeição e outras coisas tão simples que não movem as translações e rotações vida afora.

Enfim, apenas concluo disso que é momento de pararmos de olhar para os próprios umbigos e visar algo mais importante e que possa beneficar a todos, sei que dizer algo do tipo não teria efeito algum no monento atual, mas torço que tudo fique democraticamente bem, é algo que não consta apenas a minha vontade e indignação, mas sim a de todos e todas brasileiras que assim como nós, querem algo melhor para si. Iremos colher o que plantarmos e vice-versa. Fazer o que, enquanto esse dia não vem, fazemos como Chico disse...

"A gente vai levando..."

Um Beijo Enorme!
Até Jazz!
Marcelo Malagori disse…
Deveriamos utilizar a pedra...

A Pedra

O distraído tropeçou com ela.
O violento utilizou-a como projétil
O empreendedor construiu um castelo.
O camponês, cansado, utilizou-a de assento.
Para os meninos, foi um brinquedo.
David matou Golias.
Michelângelo fez a mais bela escultura.
Em todos estes casos, a diferença não esteve na pedra senão no homem!
Não existe "pedra" em teu caminho que não possas aproveitar para teu próprio crescimento e assim conseguir o que queres atingir.

Alem disto temos que rezar muito por todos nós.
Reinaldo disse…
Zizi, estou aqui boquiaberto, tudo que escreveu é a mais pura verdade!!!
De fato assim está caminhando a humanidade.
O pior que todos assistem passivamente a tudo, passando-nos a sensação de naturalidade dos fatos, um processo bravo de letargia o qual a maioria se condiciona.
Tenho medo, muito medo mesmo dos direcionamentos que a humanidade vem dando a si mesma, essa banalização de valores e princípios, o jogo sórdido para ascensão, facilidades que fazem diluir o caráter e comprometem toda dignidade humana.
O duro que parece ser um estado degenerativo tão imenso de valores , pela aceitabilidade natural a tudo o que nos mostra o mundo contemporâneo, que já nem mais acredito na irreversibilidade, sabia?. Não sei mais a que condição seremos reduzidos.
Essa permissividade abusiva para obter "lucros", "ganhos" tem nos deixado perplexos mesmo. Achei um ato de coragem este post.
Abraços
caca disse…
ZIZIZINHA e ZIZIANOS ,

COMPARTILHO COM VOCÊS ESSE SENTIMENTO DE HORROR DIANTE DE TANTA BANALIDADE, DESUMANIDADE E CRUELDADE!!

ACHO MUITO TRISTE ESTARMOS VIVENDO
TANTA DETURPAÇÃO DOS VALORES,À TROCO DA GANÂNCIA,DE FALTA DE AMOR ,FALTA DE SENSIBILIDADE E PRINCIPALMENTE ,FALTA DE EDUCAÇÃO.

QUE DEUS NOS MOSTRE O CAMINHO DE VOLTA À MORAL, À ÉTICA E AO AMOR PRÓPRIO, E AO PRÓXIMO!!
Larissa Lima disse…
Zizi,
Seu blog também é espaço para reflexão e ação. Sua e nossas.

O caso Eliza Samudio não deve ser apenas um capítulo chocante da mídia brasileira.

Precisa e deve ser a mola propulsora para ações de combate a crimes como esse.


Lembro do Caso Daniela Perez e da briga incansável de sua mãe pela lei (hoje em vigor) que torna crime hediondo a prática brutal como essa que vemos.


Do alto dos meus 22 anos estou aqui.
Agradecendo o caráter que minha família não se eximiu de me dar.

É preciso ter fibra. Devemos ter a escola como apoio. A formação de caráter é tarefa familiar. Uma cadeia que não pode ser quebrada.


Beijos

Saúde e saúde
Beth Carvalho disse…
Minha amiga, ratifico todos os termos de sua mensagem. E me preocupo muito com o amanhã também.
Às vezes, eu não acredito em certas coisas que vejo (mesmo vendo é de não se acreditar!), que ouço ou que leio. E os valores éticos se dissiparam por completo. As pessoas querem atingir seus objetivos, passando por cima de tudo e todos. Não sei se o mundo acabará em 2012. Mas o caminho é desesperançoso... Confesso que tenho muito medo do destino da humanidade. Devemos pedir ao Divino, que olhe para os bons. E cantemos o Blues da Piedade.Sempre que chego mais cedo em casa, rezo o Santo Terço na TV Canção Nova. Eu acho que o Terço é um mantra muito poderoso! Repetimos várias vezes a mesma oração dirigida à mulher mais forte e suave que passou por esse mundo - Maria.
Beijos para todos!
Beth
Rachel Louise disse…
Olá Zizi e Zizianos !

É triste, porém inevitável a constatação de que vivemos uma crise de valores.
A verdade dói, contudo, discordo da idéia de que as coisas caminham cada vez mais para o pior. Olhando para a Idade Média por exemplo, a maioria das pessoas vivia em extrema pobreza nos feudos ou em extrema sujeira nas cidades. A igreja ao invés de ajudar, atrapalhava, cobrando donativos. E a lista de coisas ruins não para tão cedo: Santa Inquisição, Peste Negra, Revolução Industrial (o lado negativo aqui é a exploração dos trabalhadores), Guerras Mundiais, ditaduras militares, repressão, inflação...

Insisto na idéia de que caminhamos pra frente. Contudo, sei que se melhoramos em muitos aspectos, outros por sua vez, negligênciamos. Como é o caso dos valores morais.

Acho que a bola da vez é cuidar do "ser"; investir na formação do indivíduo. São coisas com as quais poucas pessoas se preocupam, pois não garantem status. Sinto que o problema gira em torno do materialismo exacerbado impregnado em nossos costumes. Isso explica o "vale tudo por dinheiro".

Apesar de tantos "apesares", é preciso seguir em frente. Não há nada mais destruídor do que perder a coragem.

Voltando na questão dos valores, eles estão profundamente ligados a educação e com relação a isso, creio que a melhor maneira de ensinar o outro é por meio do exemplo. Se quisermos mudar algo no mundo, sugiro que comecemos por nós mesmos.

Abraços a todos e ... boa sorte.
Sanbahia disse…
Zizi, estou atônita, triste com tudo isso. Infelizmente os valores morais, éticos foram esquecidos.
Faço minhas as suas palavras.
Rezemos.
Abraços.
Namastê.
Márcia Ricco disse…
Muito importante o que vc expôs aqui. Procuro entender a quem pode interessar, por exemplo, pessoas morando na rua, crianças e adolescentes drogando-se o tempo todo, prostituição infantil, tráfico de órgãos, mulheres, bebês, vivissecção, experiências com animais... Não acredito que nada possa ser feito em relação a isso!!
Chego a duvidar - vejam só aonde cheguei! - que os zeladores dos direitos humanos, das crianças dos animais acabam por ser coniventes com a omissão/descaso do "poder" público!
No livro "As Conexões Ocultas", Fritjof Capra descreve como os governos estão incapacitados de dar bem-estar social aos cidadãos e, principalmente, como estão perdendo a guerra contra a nova economia do crime globalizado. "A população carente é presa fácil das organizações criminosas através do tráfico de drogas, armas, contrabando, jogo, etc..." Ele ainda coloca que "a violência impiedosa, muitas vezes executada por matadores de aluguel, é um aspecto básico da cultura do crime. Tão importantes quanto esses assassinos porém, são os policiais, juízes e políticos que constam das folhas de pagamento das organizações criminosas e são, às vezes chamados, cinicamente de "aparelho de segurança" do crime organizado" Tem mais: " O dinheiro lavado entra na economia formal através de complexos esquemas financeiros e redes de comércio."(...)"Constituíram-se alianças estratégicas entre organizações criminosas do mundo inteiro, dos cartéis do narcotráfico colombiano às redes criminosas russas, passando pelas máfias siciliana e americana."
Jesus!!...
Bom, Zizi e zizianos queridos, tenham ótimos dias e noites!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Pensou que eu tinha esquecido de você Eli?????

Mas não esqueci não!!!!!
Parabéns atrasados querida, mas limpinhos e cheios de carinho!!!
Desculpe não ter postado ontem!
Fui abduzida pela minha filha que me levou a um cinema incrível, a gente quase deita nele! E os garçons servem o que a gente já pediu.
Assistimos Almodovar com um pacote imenso de pipocas e prosseco rosê.
E eu ficava pensando: será que vai dar tempo de postar o parabéns da Eli?????
Não deu, mas então aqui vai:

PARABÉNS ELI!!!!
Muita saúde, paz, realizações, amor, felicidades e que seus desejos mais lindos sejam realizados!
Receba um beijo meu enooooooooooorme, e deste blog inteirinho que te ama!

Ah, a Carminha fez um cartão lindo prá você, só que veio em pdf. extensão que o blogger não aceita para uploads.

Então saiba que o carinho de todos por aqui é muito maior do que o que você imagina!
Beijos mil
Existe uma música cuja letra diz   “recordar é viver”
Pois bem, eu digo o contrário. Viver, de verdade, é recordar…..
Daquilo que, intimamente, já sabíamos - mas não lembrávamos que sabíamos… Recordar através de uma palavra solta no ar, um gesto, uma intenção, um deja-vù… qualquer coisa se presta a ser um sinal que suga dos infinitos do inconsciente a lembrança vaga de fatos, mas muito sólida em conteúdo e sentido.
Lembrar disso tudo trás sentido ao viver, ao sofrer que faz parte, àquilo que temos de aceitar porque a impotência bate de frente….
O caminho dessas lembranças, pelo menos o único que conheço, está bem perto - ou melhor : bem dentro de nós. Há que se ter coragem = core ( coração + agir ). Há que enfrentar nossos próprios demônios e dragões, que guardam as portas de entrada da memória… Parece simples, mas não é. Um pequeno e único gesto, por menor que seja, nessa direção, acredite: é Hercúleo.
Bem vindo à complexidade - inevitável como o destino - que nos compõe, e parece cobrar sua aut…

Mistério revelado

Que bacana vocês terem aprovado o verde de fundo do blog.
É em homenagem à nossa escolha por maioria, ao partido verde, que na verdade com ou sem partido, é a cor de fundo das escolhas dos nossos corações, não é mesmo?

Um blog que reúne pessoas que amam animais, vegetais e minerais, música, arte e verdade, é no mínimo ecológico e ético, certo people?

Então, vou contar para vocês sobre o mistéééério que me levou ao planalto central.

Uma amiga comentou há algumas semanas, que um grupo de amigos estava com vontade de ir à Abadiânia - cidade do interior do estado de Goiás, para ser vista pelo médium João de Deus, a quem é atribuído grande poder de cura das mais diversas doenças.

Vi na minha agenda que naquele final de semana eu estaria com tempo livre, e resolvi me juntar ao grupo, uma vez que nos últimos anos tenho me sentido um "mostruário" de males que a medicina tem pouco ou nenhum jeito eficiente de tratar. Alguns não têm nem diagnóstico..... já passei por tantos hospitais, médi…